Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Gastronomia’ Category

Quem não gosta de tomar um chá ou café à tarde? É um hábito praticado principalmente entre as senhoras, mas, é claro, é uma prática deliciosa que não distingue sexo, raça ou idade. E esta Torta de Maçã, super prática, é um encaixe perfeito quando se quer dar aquela pausa para fazer uma “boquinha”.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Torta de Maçã: delícias da fruta do pecado

 

Tire da despensa:

2 xícaras (chá) de farinha de trigo

2 colheres (sopa) de açúcar refinado

1 xícara (chá) de manteiga gelada

3 maçãs vermelhas pequenas

½ xícara (chá) de uvas passas pretas sem semente

2 gemas

1 caixa de creme de leite

½ colher de café de fermento em pó químico

 

Mão na Massa:

Preaqueça o forno à 180°C. Unte uma forma de fundo removível de aproximadamente 20cm com manteiga e enfarinhe. Reserve.

Em um bowl misture a farinha de trigo, o açúcar e o fermento. Acrescente a manteiga e trabalhe com as mãos até obter uma farofa. Transfira a mistura para a forma e aperte levemente no fundo com as costas de uma colher. Descasque as maçãs, corte ao meio, retire as sementes e corte em fatias finas. Arrume as fatias sobre a massa, espalhe as uvas passas, polvilhe metade do açúcar com canela e leve ao forno por 15 minutos. Enquanto isso, em um bowl misture as gemas e o creme de leite. Retire a torta do forno e despeje este creme por cima das maçãs. Polvilhe o restante do açúcar com canela e retorne ao forno por mais 30 minutos, ou até que perceba que está dourado por cima.

Bon appétit!

 

Curiosidades:

A maçã não é apenas a fruta do pecado. Contém vitaminas B1, B2, niacina e sais minerais como Fósforo e Ferro. Também é rica em quercetina, substância que ajuda a evitar a formação dos coágulos sanguíneos capazes de provocar derrames, além de muitos outros benefícios. E o melhor: você encontra maçã em qualquer mercadinho.

Read Full Post »

Estamos na Semana Santa, época em que boa parte de nossa população se priva de alguns hábitos em nome de uma crença. Cuisinez Fácil adere à ideia como em anos anteriores. É claro, tem gente que não dá a mínima para a Quaresma e come de tudo, como o autor deste blog. Porém, de olho na grande parcela da população brasileira que pratica este rito, agora você confere uma receita com atum. É um bolo – ou pode chamar de torta – super prática ao quadrado e que pode ser servido como entrada. Sem mais delongas, papel e caneta na mão.

Vive la bonne cuisine!

Imagem: Joannes Lemos

Bolo Salgado de Atum: saboreie em qualquer época do ano

Tire da despensa:

2 latas de atum ralado e escorrido

1 cenoura ralada

1 pimentão amarelo em cubos

½ xícara (chá) de azeitonas verdes picadas

5 colheres (sopa) de ketchup

4 colheres (sopa) de ervas frescas picadas (manjericão, salsa, manjerona, orégano, cebolinha)

1 xícara (chá) de maionese

1 caixinha de creme de leite

Sal e pimenta-do-reino a gosto

1 pacote de pão de forma sem a casca (500g)

Folhas de cebolinha picada para decorar

Azeitonas verdes em rodelas para decorar

Mão na Massa:

Em uma vasilha, misture o atum, a cenoura, o pimentão, a azeitona, o ketchup, as ervas, 2/3 da maionese e 2/3 do creme de leite. Tempere com sal e pimenta e misture até homogeneizar. Em uma travessa grande e rasa (de preferência uma vistosa, já que é nela que irá servir), intercale camadas de pão e de recheio, terminando em pão. Misture o restante do creme de leite e da maionese, tempere com sal e espalhe sobre o pão, alisando com uma espátula. As laterais do bolo ficam descobertas mesmo, deixando o recheio à mostra. Decore com cebolinha picada, azeitonas e leve à geladeira por 2 horas. Sirva.

Bon appétit!

Dica:

Você pode trocar alguns ingredientes do recheio. Pode usar, por exemplo, frango desfiado no lugar de atum. Se desejar acrescente milho verde em conserva ou então uvas passas pretas. Use a criatividade!

Curiosidades:

O atum, na certa, é uma das espécies mais saborosas de peixe. Não se restrinja apenas em comer atum enlatado. Se você ainda não teve a oportunidade de ir a um sushi bar e comer um suculento sashimi de atum fresco, não sabe o que está perdendo.

No mundo existem oito espécies de atum, como a albacora (encontrada também no litoral brasileiro) e o atum-do-índico. E tem atum que vale ouro, literalmente. Em janeiro deste ano, no Japão, um atum foi leiloado por 736 mil dólares. A espécie foi vendida por este preço por dois motivos: por sua barbatana azul e pelo seu peso, de 269 quilos. Este tipo de atum com a barbatana azul está em extinção. Portanto, em nome da preservação da espécie, nada de comê-lo por aí. Ok?

O mapa da mina: atum de 269 kg leiloado por US$ 736 mil


Faça também: 

CUISINEZ FÁCIL: Torta de Batata e Atum

Read Full Post »

Cozinhar é algo que está enraizado dentro da gente. E isso não é apenas histórico, faz parte de nosso instinto até por uma questão de sobrevivência. Comer, graças a Deus, é uma necessidade deliciosa. Foi só descobrir o fogo e as formas de preparo dos alimentos, procurar um pouco de carne de caça aliado à descoberta de novos legumes, verduras e frutas e pronto: não paramos mais de inventar coisinhas gostosas.

E hoje, nesse mundo que gira em torno da internet, basta abrir o Google, Bing e cia limitada para cairmos como grandes desbravadores por novas receitas e possibilidades. A busca pela receita daquele bolo ou daquele espaguete faz com que milhões e milhões de internautas dediquem uma parte de seu tempo na web. Aqui em Cuisinez Fácil, receitas como a do Pavê de Wafer Bis ou da Delícia Gelada de Uva, entre outras, fazem muito sucesso.

Joa

Imagem: Reprodução WordPress

Cuisinez Fácil: só falta ser acessado pelos esquimós


E uma ferramenta viciante do Word Press chamou a atenção ultimamente: os acessos oriundos de outros países que esta web cuisine recebe. Na certa são brasileiros – que são iguais às formigas, pois estão em toda parte – procurando por alguma receita. Mas também podem ser gringos glutões querendo descobrir algo novo. “Ah, mas como eles vão entender se tudo está em português”?, perguntaria o leitor mais desatento. Ora, as ferramentas de tradução online estão aí pra isso.

Só para encerrar, entre os países visitantes de Cuisinez Fácil estão lugares comuns, como Portugal e Estados Unidos (alô brasileirada), mas a página também recebe visitas de lugares mais inóspitos, como Luxemburgo (Europa), Benin (África) e pasmem, até Guadalupe, uma ilha caribenha controlada pela França. E é claro, o acesso também vem de lugares mais nobres, como Inglaterra, Japão, Áustria, Suíça e da milenar Índia, lugar das comidas exóticas.

Très chic!

Read Full Post »

Palmas para a culinária mineira!! Riquíssima, a gastronomia do estado do sudeste brasileiro é uma tentação à parte. Cuisinez Fácil vai aderir hoje ao regionalismo da cozinha nacional e apresenta uma receita facinha demais, ! E quando se fala em comida de Minas Gerais pensa-se em várias possibilidades, como o tradicional queijo de minas – sua maneira de ser feita foi tombada pelo IPHAN –, o tutu de feijão, o angu de fubá, o pão de queijo, e, é claro, o inconfundível doce de leite.

Culturalmente, comenta-se que mineiro não gosta muito de tomar leite. E olha que o estado é o maior produtor do Brasil. Tanta produção acabou sendo destinada à fabricação de queijos e doces, como a doçura típica e facílima de fazer que você aprende agora. Só é necessário um pouco de paciência.

Vive la bonne cuisine, uai!

Joa

Imagem: Joannes Lemos

Doce de leite caseiro: uma viagem até a tradicional cozinha mineira



Tire da despensa:

1 litro de leite integral

100 g de açúcar

Mão na Massa:

Em um tacho de cobre ou panela de fundo grosso, coloque os ingredientes e misture com uma colher de plástico (se não tiver, use de pau, mas a de plástico é mais corretamente higiênica), fazendo movimentos de vai e vem. Esse processo vai durar mais ou menos 40 minutos, e o doce vai começar a borbulhar e ficar grosso. Mexa vigorosamente para não grudar no fundo. Quando estiver com consistência de creme desligue o fogo e deixe esfriar. Sirva gelado.

Bon appétit!

Dica:

O doce de leite caseiro (um pouco mais branquinho do que aquele que costuma-se comprar pronto) combina muito bem com o tradicional queijo de minas. No café da manhã ou da tarde sirva com o bom e velho cafezinho.

Esta receita rende pouco doce, cerca de 300 g, porque a água do leite reduz bastante devido ao tempo de fogo. Se quiser fazer um pouco mais use 2 litros de leite. Aí basta dobrar a quantidade de açúcar, ou seja, 200 g.

Curiosidades:

O doce de leite, apesar de tipicamente mineiro, não é exclusivo das Gerais. Não existe um registro preciso da época em que o doce surgiu, mas acredita-se que tenha sido por volta do século XV, com a produção de sacarose da cana-de-açúcar nas ilhas ibéricas do Atlântico. Esta delícia é popular em praticamente toda a América Latina, e no final dos anos 90 ficou bastante conhecida também nos Estados Unidos, quando a Häagen-Dazs lançou na terra do tio Sam o sorvete de doce de leite (aliás, este sorvete é uma verdadeira tentação, um manjar dos deuses).

Read Full Post »

Alô, ainda dá tempo de comemorar? Lógico que sim. Cuisinez Fácil completou 2 anos no ar no último dia 25/02, mas ainda dá tempo de soprar as velinhas. O autor – meio relapso – deste espaço não esqueceu deste dia em nenhum momento, apenas postergou um pouco o post de comemoração. Obrigado a todos pelos quase 25 mil acessos desde a estreia em 2010.

Vous voyez en 2012! (Vejo vocês em 2012!)

Read Full Post »

Certas sobremesas a gente nunca esquece. E tem algumas que só de bater o olho na receita já dá aquela imensa vontade de correr pra cozinha e preparar. Com este Bombom de Colher que Cuisinez Fácil ensina você a fazer hoje não é diferente. É a típica sobremesa para comer compulsivamente.

Além do mais – seguindo a característica principal deste espaço – não é nenhum bicho de sete cabeças. Os ingredientes usados aqui são fáceis de encontrar, e, “se bestar” (usando uma expressão comum no Espírito Santo, o mesmo que “provavelmente”) você terá todos os itens necessários em sua casa. Então não perca tempo, chame seus primos mais novos ou seus filhos e corra pra cozinha.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Bombom de Colher: simplesmente hummmmmmmmmmm!!


Tire da despensa:

4 bananas nanicas cortadas em rodelas grossas

1 colher de sopa de manteiga (para untar a frigideira)

3 colheres de sopa de açúcar

1 colher de chá de canela em pó (opcional)

1 lata de leite condensado

1 colher de sopa de amido de milho

1 lata de creme de leite

1 xícara de chá de leite (240ml)

120g de chocolate meio amargo picado e derretido

Mão na Massa:

Numa frigideira aqueça a manteiga e doure as rodelas de banana dos dois lados. Para virá-las use um pegador de salada numa mão e uma colher na outra. Depois que o segundo lado estiver levemente dourado polvilhe o açúcar por cima das bananas e deixe caramelizar levemente (cerca de 3 ou 4 minutos). Retire as bananas e acomode-as espalhadas no fundo do recipiente onde vai preparar a sobremesa. Polvilhe a canela suavemente e reserve (se não gostar de canela, dispense este ingrediente).

Em outra panela misture o leite condensado com o creme de leite (sem soro), metade do leite (120 ml) e o amido (dissolva o amido dentro do leite antes de adicionar na panela). Cozinhe em fogo médio, mexendo sempre, até engrossar. Despeje a mistura sobre as bananas e deixe esfriar.

Derreta o chocolate em banho-maria ou micro-ondas, junte o restante do leite e mexa bastante para incorporar e fazer uma ganache leve. Cubra o creme branco com este chocolate derretido e leve à geladeira. Sirva gelado.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

Banho-maria ou micro-ondas: As duas formas são eficazes no derretimento do chocolate. Como neste caso a quantidade de chocolate é pequena, vale a pena derreter no micro-ondas. Pique o chocolate e leve ao micro por 30 segundos. Retire, mexa e leve novamente por mais 30 segundos. Retire, mexa novamente e aqueça por mais 15 segundos. Fazendo em etapas você não queima o seu chocolate. Depois é só misturar o leite e misturar bem.

Dica:

Se você quiser pode optar por outros tipos de frutas, como morangos ou ameixa sem caroço. Mas se usar a banana, sempre a submeta ao cozimento na frigideira, pois faz toda a diferença.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Chocolate Quente

Read Full Post »

Esta é a última receita que Cuisinez Fácil apresenta em 2011. Esta Mousse de Atum com Palmito é uma preparação prática e sem grandes complicações. O objetivo de hoje é trazer aos leitores uma receita para as comemorações do fim do ano. Esta mousse salgada é deliciosa com torradas, e vai fazer sucesso nas entradas da sua ceia de Natal ou Ano Novo. É com a simplicidade deste prato que Cuisinez Fácil se despede de 2011. Agradeço em especial a todos que passaram por aqui neste ano. Que 2012 seja ainda melhor para todos. Em todos os âmbitos.

Vive la bonne cuisine!

Joa

Imagem: Joannes Lemos

Mousse de Atum com Palmito: um ótimo hors-d’-oeuvre para sua ceia


Tire da Despensa:

12g de gelatina incolor e sem sabor

Uma lata de atum sólido (aquele sem nenhum tipo de tempero)

200g de creme de leite (uma caixinha)

100g de palmito em conserva

½ cebola picadinha

80g de maionese

50g de azeitonas verdes ou roxas picadas

30g de uvas passas sem caroço picadas

Ciboulette ou cebolinha verde picada a gosto

Salsa picada a gosto

Sal refinado a gosto

Torradas para acompanhar

Mão na Massa:

Pique o palmito, a cebola, as azeitonas, a cebolinha, a salsa e as uvas passas em pedaços pequenos. Reserve. Num bol junte o creme de leite e a maionese e misture bastante para incorporar. Junte nesta mistura todos os ingredientes que foram anteriormente picados. Hidrate a gelatina de acordo com as instruções do fabricante e misture com os demais ingredientes. Ajuste o sal a seu modo. Forre uma forma de bolo inglês com plástico filme e despeje a mousse nela. Leve à geladeira e deixe encorpar por cerca de 4 ou 5 horas. Desenforme e sirva com as torradas.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Plástico filme: é necessário forrar o fundo e as laterais da forma de bolo inglês com o plástico filme apenas com o objetivo de fazer com que a mousse não grude. Fazendo isso ela sairá da forma perfeita, sem quebras.

Dicas:

Você pode colocar condimentos do seu gosto nesta receita, como orégano, cominho, manjericão… Mas cuidado para não exagerar a ponto de camuflar o sabor do atum e do palmito hein!

Curiosidades:

A mousse (ou musse) fria salgada tem muitas aplicações. Servida fora da forma, fatiada como se fosse um pão ou terrine ou usada como cobertura de outra preparação, pode ser servida como hors-d’-oeuvre (antepasto), tira-gosto ou componente de outros pratos. Vale lembrar que a mousse fria não pode ser cozida depois de montada, pois pode murchar.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Farofa de Banana

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: