Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘cenoura’

Difícil encontrar quem não goste de macarrão nessa vida. O prato é praticamente tão popular aqui no Brasil quanto o arroz e o feijão nosso de cada dia. Colocar o macarrão no prato na hora do almoço e jantar virou praticamente um hábito do brasileiro. E como não poderia deixar de ser, Cuisinez Fácil traz hoje uma massa fácil de fazer e gostosa de comer, e que ainda foge do trivial bolonhesa-molho branco-alho e óleo, a trinca mais comum quando se pensa em molho para macarrão.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Fusilli Tricolore: inove e faça um molho diferente e gostoso



Tire da despensa:

250g de fusilli tricolore

1 xícara de chá de tomate picado

1 xícara de chá de cenoura ralada

1 xícara de chá de abobrinha ralada

1 xícara de chá de brócolis

½ cebola picada

2 colheres de sopa de salsinha picada

2 colheres de sopa de cebolinha picada

½ xícara de chá de azeite

Sal

Pimenta-do-reino para jogar por cima

Mão na Massa:

Coloque água com sal em uma panela, e, depois que levantar fervura jogue o macarrão e deixe cozinhar. Depois que cozinhar, reserve. Em outra panela refogue a cebola no azeite e acrescente o tomate. Mexa-o por uns dois minutos e acrescente a cenoura, a abobrinha e os brócolis. Mexa em fogo médio por mais uns quatro ou cinco minutinhos para refogar os legumes.

Para finalizar, acrescente neste refogado o macarrão, a salsinha e a cebolinha. Se desejar, salpique um pouquinho de nada de pimenta-do-reino por cima. O quê? Terminou? É claaaaro! Simples assim!

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Xícara de Chá – as medidas são um grande problema na cozinha da maioria das pessoas. Eu também vivo me perdendo com isso, mas, para facilitar minha vida, comprei um dosador, que é um recipiente igual uma caneca grande com marcações para líquido, farinha e açúcar. Uma xícara de chá equivale a 240ml de líquido, 120g no caso de farinha, 200g no caso de manteiga e 180g no caso de açúcar. No caso dos líquidos, para ajudar, uma xícara de chá é o mesmo que 16 colheres de sopa.
  • Colher de sopa – Tem gente que não sabe o que é uma colher de sopa. Mas calma! Esta colher é aquela maior dentre as colheres utilizadas nas refeições, aquela que muita gente usa para comer a “malmita”.

Dicas:

Se quiser deixar este prato um pouco mais calórico você pode colocar bacon ou calabresa – ambos picadinhos. Basta dar uma leve tostada neles (naquele que for usar, não coloque os dois) numa panela com óleo, azeite ou manteiga (eu prefiro esta última). A consciência não ficará pesada, visto que o Fusilli Tricolore Especial leva muitos legumes.

Você também pode trocar a massa. Ao invés do fusilli fica legal usar o farfalle tricolore. “Caramba Joannes, esse macarrão deve ser difícil de achar hein!”. Não se faça de louco, o farfalle nada mais é do que o macarrão gravatinha. Copiou?

Curiosidades:

Também conhecido como ‘massa em rosquinha’ ou ‘parafuso’, o fusilli vem ganhando muita apreciação nos últimos anos. Este tipo de massa acabou ganhando subtipos: o fusilli mais comum, aquele que tem duas estrias; o fusilli mini, igual ao anterior, porém menor; e o fusilli com vegetais, que lhe confere cores variadas, geralmente vindo em três tonalidades nas embalagens (os tricolores desta receita).

Read Full Post »

Um bolinho no café da manhã ou da tarde sempre cai bem, não é mesmo? Também é sempre bom levar um pedaço desta delícia para alguns compromissos onde a falta de tempo impera. O bolo de cenoura tradicional não tem complicação nenhuma, e é por isso que hoje Cuisinez Fácil traz esta receita pra você.

Esta é uma receita clássica seguida por algumas confeitarias. Outras, no entanto, fazem de um modo um pouco diferente. O resultado final é um bolo fofinho e levemente alaranjado, com uma deliciosa cobertura de ganache de chocolate. Não deixe de fazer.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Bolo de Cenoura: seu café da manhã ou da tarde agradece


Tire da despensa:

4 ovos

3 xícaras (chá) de açúcar

3 cenouras raladas

1 xícara (chá) de óleo

3 xícaras (chá) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de fermento em pó

 

Para a cobertura:

100g de chocolate meio-amargo picado

1/2 caixinha de creme de leite

 

Mão na Massa:

Rale as cenouras e bata-as no liquidificador junto com os ovos, o açúcar e o óleo. Transfira para outro recipiente, incorporando aos poucos a farinha de trigo. Finalmente adicione o fermento em pó e mexa mais um pouco. Transfira para uma forma redonda com furo no centro (ou outra de sua preferência), untada e enfarinhada somente nos fundos. Asse em forno pré-aquecido à 18oºC por cerca de 50 minutos (mas este tempo pode chegar a 1 hora, dependendo do forno). Depois de assado espere esfriar para desenformar.

Enquanto isso, faça a ganache de chocolate. Derreta o chocolate em banho-maria ou micro-ondas. Depois de derretido adicione o creme de leite e mexa bem para incorporar. Desenforme o bolo, coloque este creme por cima e sirva.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Untar a forma – esse processo é necessário para evitar que o alimento grude no fundo da forma. Para untar passe manteiga em todo o fundo. Para ajudar ainda mais e evitar que o alimento grude, polvilhe farinha de trigo por cima da manteiga, formando uma leve camada. Outra sugestão é colocar papel-manteiga por cima da camada de manteiga. O bolo sai perfeito.

Dica:

Se não quiser colocar a cobertura de chocolate no bolo você pode polvilhar açúcar refinado, ou então açúcar de confeiteiro, caso tenha em sua despensa.

Curiosidades:

Não existem registros precisos sobre a data exata do surgimento do bolo de cenoura. No entanto, na Idade Média, quando o açúcar estava pela hora da morte – afinal era um artigo de luxo, e só a high society tinha acesso – as cenouras eram utilizadas com frequência em bolos e outros doces por ter alto teor de açúcar. Na Segunda Guerra Mundial aconteceu o mesmo, sendo a cenoura muito utilizada por causa da escassez de açúcar.

Read Full Post »

Quem é que não gosta de comer aquelas comidinhas que lembram a infância? A carne de panela é uma delas, aquela receita que tem gostinho de comida de mãe, algo que é feito com carinho e amor.

É por isso que Cuisinez Fácil traz hoje para o seleto grupo de leitores esse prato simples, mas que é muito saboroso. A cara da cozinha brasileira.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Carne de Panela: gostinho de comida de mãe


Tire da despensa:

700g de acém cortado em cubos, ou outra carne bovina sem osso de sua preferência

Meia cebola pequena picada

2 dentes de alho picados

2 colheres (sopa) óleo

2 tomates sem sementes picados

2 cubos de caldo de picanha (Knorr ou Maggi)

500 ml de água fervente

1 cálice pequeno de conhaque (opcional)

2 colheres (sopa) de suco de limão

2 batatas grandes cortadas em cubos grandes

2 cenouras cortadas em cubos grandes

pimenta-do-reino a gosto

Salsinha a gosto (opcional)


Mão na massa:

Coloque a carne em uma tigela e tempere com a cebola e o alho. Separe. Enquanto isso, ferva os 500ml de água e junte os cubos de picanha até formar o caldo de picanha. Após deixar a carne pegar o gostinho da cebola e alho (pode ser uns 20 minutos), aqueça o óleo em uma panela de pressão. Depois, junte a carne e refogue até ela perder a cor vermelha e ficar um pouco marrom. Junte os tomates picados e o caldo de picanha. Misture.

Em seguida, junte o conhaque (caso queira colocar, mas é opcional), o suco de limão, as batatas, a cenoura e a pimenta-do-reino a gosto. Misture bem. Tampe bem a panela de pressão e, após pegar a pressão, deixe por mais 40 minutos. Deixe sair toda a pressão da panela para abrir em seguida. Salpique a salsinha (se for usá-la). Está pronto. Sirva com arroz branco para acompanhar – veja em Dicas como preparar um arroz, caso não saiba fazer.

Bon appétit!


Glossário para iniciantes perdidos:

  • Cebola – vide receita de Sopa de Mandioquinha para ler mais sobre descascar a cebola sem “chorar”.
  • Tomates – para retirar a semente do tomate, corte-o ao meio e retire com a faca somente a parte de dentro do fruto.
  • Cenoura – não se perca ao descascar a cenoura. Basta raspar a faca em volta dela, como se estivesse lichando.
  • Cuidado com os termos – pimenta-do-reino a gosto, assim como sal a gosto, não significa colocar todo o conteúdo da embalagem. Coloque sempre em pequenas pitadas.
  • Panela de pressão – cuidado ao usar esse utensílio tão útil de uma cozinha. Depois de certo tempo de uso é necessário atentar para a troca da borracha de vedação da tampa. E cuidado também para retirar a pressão. Nunca, jamais, em hipótese alguma abra a tampa logo que desligar o fogo. Retire a pressão aos poucos, até ela escapar totalmente. Como? Com a ajuda de algo longo (como uma faquinha ou colher) levante aos poucos o chapéuzinho da tampa da panela, por onde sai o vapor. Faça isso aos poucos até parar de sair o vapor totalmente. Só depois disso você poderá abrir a tampa da panela.


Dificuldades X Facilidades:

Fazer este prato não demanda muitas dificuldades. Pelo contrário: os ingredientes podem ser encontrados em qualquer supermercado. Se você é marinheiro de primeira viagem tome o cuidado de picar tudo aquilo que precisa ser cortado antes de começar a receita, como batata e cenoura. E o melhor de tudo é que você não sujará muita louça para fazer a Carne de Panela.

Então, esqueça o telefone do delivery!


Curiosidades:

De acordo com as crenças cristãs, só ouve registro de consumo de carne pela raça humana após o grande dilúvio. Antes disso, Adão e Eva – e todos que vieram depois deles – não podiam comer carne, porque isso representava fraqueza e desobediência aos princípios divinos. Precisou de uma chuvarada bem ao estilo paulistano (mas que durou dias) para todos caírem matando em cima das carnes. Resta saber o que os homens das cavernas comiam, já que eles eram sinônimos de carne.

Read Full Post »

%d blogueiros gostam disto: