Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Joannes Lemos’

Carnaval é época de cair na folia e consumir muuuita caloria. Mas é também tempo de ficar em casa curtindo um bom filme, dormindo além da conta e, quem sabe, dar uma olhadinha nos desfiles das escolas de samba do Rio e Sampa na TV. Foi pensando em tudo isso que Cuisinez Fácil apresenta hoje uma receita fácil fácil, já que este é o mote do blog. Vamos à receita.

Vive la bonne cuisine!

Joa

Imagem: Joannes Lemos

Cream Cheese de Carnaval: caia na folia de barriga cheia


Tire da despensa:

Um pão italiano

3 colheres de sopa de maionese

200g de Cream Cheese

Orégano (opcional)

Dois talos de cebolinha picadas grosseiramente

1 cebola grande cortada em rodelas

1 colher de manteiga

Meia caixinha de creme de leite

Mão na Massa:

Derreta uma colher de sopa de manteiga em uma frigideira. Acrescente a cebola cortada em rodelas e deixe refogar até ficar levemente transparente. Junte o Cream Cheese e a maionese e mexa bem para os ingredientes se incorporarem. Acrescente a cebolinha picada e desligue o fogo. Leve todos os ingredientes ao liquidificador e junte a eles o creme de leite. Bata bastante. Coloque em um recipiente e está pronto para servir.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

Refogar: no caso dos legumes significa fritá-los em gordura, em fogo baixo usando a panela tampada, mas sempre tomando cuidado para não adquirirem cor. No caso das carnes, refogar é cozinhar as mesmas em pouco líquido e de forma lenta, sem deixar que elas atinjam o ponto de fervura.

Dica:

Esse creme fica uma delícia com o pão italiano. Mas você também pode consumi-lo com uma torradinha ou em outro pão de sua preferência, ou ainda passando vegetais frescos no creme, como cenoura ou pepino cortados em tiras. Comer tomando uma cervejinha preta fica um espetáculo!!

Curiosidades:

Existem referências na França ao Cream Cheese de 1651, época em que este tipo de queijo teria surgido segundo estudiosos. Já o primeiro Cream Cheese norte-americano teria sido feito em 1872 pelo leiteiro americano William Laurence.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Carne de Panela

Read Full Post »

A cuca é um bolo típico alemão coberto com uma farofa doce, e recheado com frutas. A receita combina com sua noite de Natal, e fará sucesso em sua ceia. Por isso, hoje, antevéspera de Natal, Cuisinez Fácil apresenta uma receita que na certa fará sucesso na sua mesa natalina. Sirva panetone, pavê, bombons, trufas e, também, uma deliciosa Cuca de Maçã. Papel e caneta na mão.

Vive la bonne cuisine et Joyeux Nöel!!

iu

Imagem: Joannes Lemos

Cuca de Maçã: uma boa pedida para a noite de Natal



Tire da despensa:

Para a torta:

– 1 xícara de açúcar
– 4 colheres de sopa de margarina
– 3 ovos com clara e gema separadas
– 2 xícaras de farinha de trigo
– 1 colher de sopa de amido de milho
– 1 colher de café de fermento
– 1/2 xícara de leite
– 1 pitada de sal
– raspas de 1 limão
– 2 colheres de sopa de suco de limão
– 2 maçãs gala com casca e sem o miolo

Para a farofa:

– 2 colheres de sopa de margarina
– 1/2 xícara de açúcar
– 3 colheres de sopa bem cheias de farinha de trigo
– canela

Mão na Massa:

Misture o açúcar, as gemas, as raspas de limão e a margarina e mexe até ficar um creme bem clarinho. Depois acrescente o leite, a farinha, o amido de milho e uma pitada de sal.

O fermento e as claras em neve vão por último. Se você for desenformar a cuca – o que eu aconselho, pois fica bonita – é melhor utilizar uma forma de fundo removível. Se não for desenformar, use uma forma qualquer. E todas as vezes que colocar a massa de bolo na forma dá uma mexidinha pra distribuir a massa e não ficar toda torta.

Para fazer a farofa misture a farinha, o açúcar, a canela e a margarina. Amasse tudo com a ponta dos dedos pra ficar bem soltinha.

Fatie as maçãs bem finas e regue-as com o suco de limão. Além de dar sabor ele deixa a fruta com uma cor mais bonita.

Essa mistura é colocada em cima da massa e depois coberta pela farofa. Leve a cuca de maçã natalina ao forno pré-aquecido a 180 graus, por aproximadamente 45 minutos. Retire e está pronta para servir.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

Claras em neve – separe cuidadosamente as claras das gemas. Se observar um pedacinho amarelo sequer entre as gemas tente retirar, pois pode atrapalhar a chegar no ponto de neve. Uma dica é separar uma clara por vez em uma xícara, transferindo em seguida para a vasilha onde vai batê-las. Bata com o batedor de arame num ritmo rápido mas não muito intenso, de modo que permita que as claras recebam ar. Bata em ritmo circular e vertical, ou seja, girando em movimento de cima para baixo.

Dica:

Para acompanhar a Cuca de Maçã uma dica é servir com um chá verde bem quente.

Curiosidades:

A maçã tem origem nos países da Ásia central e ocidental. Chamada por muitos de “fruto proibido” – tudo por causa da desobediência de Eva – a maçã contabiliza mais de 7,5 mil espécies. Este alimento, responsável por ajudar a manter a taxa de colesterol em níveis aceitáveis, apelidou uma das maiores cidades do mundo, Nova York, conhecida como a Big Apple (Grande Maçã). A alcunha veio nos primeiros anos do século XX, quando a cidade era considerada “o fruto mais suculento” dos Estados Unidos.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Palha Italiana

Read Full Post »

Descascar as batatas e cortá-las em rodelas. Este é o maior trabalho desta singela receita que Cuisinez Fácil apresenta hoje. Faça este prato fácil e rápido no almoço de domingo. A porção serve bem umas quatro pessoas, e os custos finais não são pesados pro seu bolso. Comidinha gostosa e em conta? Não tem nada melhor. Então vamos à receita.

Vive la bonne cuisine!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Batata Gratinada: receitinha básica, gostosa e de preparo rápido



Tire da despensa:

– 6 batatas grandes

– 1 caixa de creme de leite

– 100g de mussarela fatiada bem fina

– 3 colheres de sopa de manteiga

– 1 pacote de queijo parmesão ralado (ou uma peça do queijo ralada na hora)

– Sal a gosto

– Orégano a gosto

– Pimenta do reino a gosto

Mão na massa:

Descasque as batatas e corte-as em rodelas não muito finas. Cozinhe na água com sal até ficarem macias, mas tome cuidado para não deixar por muito tempo para evitar que elas se desmanchem.  O cozimento consiste em deixar as batatas na água por uns 10 minutos – no máximo – após levantar fervura.

Depois de cozidas, escorra a água. Coloque uma camada de rodelas de batata num refratário que possa ir ao forno. Derreta a manteiga no micro-ondas e espalhe por cima das batatas. Espalhe metade do creme de leite, salpique um pouquinho de sal e espalhe as fatias de mussarela. Coloque mais uma camada de batatas, espalhe o restante do creme de leite, salpique um pouco de orégano e, por fim, jogue o queijo parmesão ralado por cima de todo o recipiente.

Leve para gratinar em forno pré-aquecido a 200°C, e deixe lá dentro por uns 15 ou 20 minutos. Se você gosta de pimenta do reino jogue um pouco por cima após retirar do forno.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Gratinar: significa tostar a superfície de um prato coberto com creme, pão ralado ou polvilhado com queijo ralado, levando-o ao forno.

Dica:

Se a pressa for grande, você pode degustar o prato sem acompanhamento. Mas, caso queira fazer algo mais, a Batata Gratinada vai bem com um arroz branco, saladinha verde e um franguinho grelhado. Se preferir, coloque o arroz para escanteio.

Curiosidades:

A batata, originária da região dos Andes – aqui na América do Sul – é cultivada há dois mil anos. Segundo alguns testemunhos, a primeira batata chegou à Europa em 1531. Reza a lenda que, ao retornar de uma longa aventura marítima, sir Walter Raleigh trouxe um tubérculo de presente à rainha Elizabeth I da Inglaterra. De fato, a batata inicialmente era cultivada como um ornamento. Só a partir do século 18, ela começou a ser utilizada também na cozinha.

Read Full Post »

O que o abacaxi tem a ver com amendoim?? Num primeiro momento eu diria que não tem nada em comum, mas depois de fazer esta receita eu digo que o abacaxi pode sim combinar com o amendoim. O preparo da receita, seguindo a proposta do Cuisinez Fácil, não exige maiores dificuldades, apenas alguns cuidados. É claro que se você não curte abacaxi é bom nem fazer, mas eu confesso: não sou muito fã desta fruta, e mesmo assim adorei a combinação, que fica ótima com um chazinho. Então, vamos à receita?

Vive la bonne cuisine!

i

Imagem: Joannes Lemos

Torta Amendoada de Abacaxi: para você fugir do convencional



Tire da despensa:

Massa:
– 2 xícaras de farinha de trigo
– 3 colheres de sopa de manteiga sem sal
– 1/3 de xícara de açúcar
– 1/2 copo de iogurte natural
– 1 gema

Recheio:
– 1 abacaxi cortado em cubos
– 1 xícara de chá de açúcar (rasa)

Farofa:
– 1 xícara de farinha de trigo
– 1 colher de sopa de manteiga
– 1 xícara de amendoim torrado e picado
– 1/3 de xícara de açúcar
– 1 colher de café de canela (opcional)

Mão na Massa:

Numa tigela, coloque as duas xícaras de farinha, o açúcar, a manteiga, a gema e o iogurte e mexa com a mão (tem que ser com a mão para sentir a massa). Depois de mexer e dar consistência à massa, leve-a à geladeira e deixe descansar por 30 minutos. Passado este tempo, abra a massa em uma forma de 22 centímetros de diâmetro. Distribua a massa com as mãos no fundo e nas laterais, tentando dar uniformidade na distribuição. Com um garfo, faça furinhos na massa para não dar bolhas quando assar. A torta vai ao forno a 180°C de 15 a 20 minutos.

Enquanto a massa está assando faça o caramelo. Numa frigideira bem quente despeje o açúcar. Não mexa com colher, apenas movimente a frigideira de um lado para o outro, até começar a derreter.

Quando o açúcar estiver derretido, junte o abacaxi cortado em cubos. Um segredo é colocar a fruta e não mexer, porque o abacaxi está frio e o caramelo quente, dando choque térmico. Neste primeiro momento a calda ficará dura. Deixe um pouco quietinho e, em seguida, vá mexendo aos poucos até o suco da fruta soltar e não formar pelotas no caramelo. Depois de uns minutinhos a calda estará derretida novamente.

Agora é hora de rechear a torta. Retire a massa do forno e espalhe o abacaxi dentro, mas sem colocar muito caldo junto, porque a torta voltará para o forno e lá o abacaxi soltará água. Depois de espalhar a fruta na massa, ainda não leve ao forno. Faça a farofa.

Em uma tigela, coloque o açúcar, a farinha e o amendoim. Depois, a canela e a manteiga por último. Amasse bem com os dedos, depois espalhe sobre o abacaxi sem apertar, para deixar bem soltinho. Leve por mais 15 minutos ao forno a 180°C, para deixar crocante por cima. Está pronta, podendo ser servida quente ou fria.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Caramelizando o açúcar: o preparo requer cuidado, pois no caso desta receita não se está usando água, então o risco de amargar o caramelo é maior. Se preferir, faça a calda pela maneira mais tradicional. Numa panela, leve somente o açúcar ao fogo e deixe derreter até ganhar a cor dourada. Depois acrescente aos poucos a quantidade de água indicada na receita, mexendo sempre até o açúcar se dissolver. A proporção ideal é, para cada xícara de açúcar, 1/4 de xícara de água. Lembre-se de que, quanto mais cozinhar, mais grossa ficará a calda.

Curiosidades:

O abacaxi já era cultivado pelos indígenas em extensas regiões do continente americano, antes do descobrimento. Origina-se da América tropical e subtropical. O abacaxi foi para a Europa depois da descoberta da América e despertou a curiosidade e a apreciação por seu aspecto estranho e o sabor da polpa. Como muitas plantas cultivadas há séculos e em diferentes zonas, o fruto é conhecido em muitas variedades que diferem pelo tamanho, pela forma e também pelo sabor, doce ou ácido.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Torta Trançada de Frutas

Read Full Post »

Continuando com a linha editorial “faça você mesmo com rapidez”, Cuisinez Fácil traz hoje aos queridos leitores uma dica que serve para preparar em várias ocasiões: quando você tem em casa pão de forma e não sabe qual destino dar a ele; quando você quer fugir do trivial feijão com arroz, mas está sem tempo para frivolidades; ou quando vai receber amigos em casa e quer servir um lanchinho no happy hour.

Atenção às próximas linhas porque a dica é bem básica. Viva à praticidade.

Vive la bonne cuisine!!

joa

Imagem: Joannes Lemos

Pizzinha rápida: para o happy hour ou para fugir do trivial



Tire da despensa (receita para duas pessoas):

6 fatias de pão de fôrma

Meia caixinha de molho de tomate

6 fatias de queijo mussarela

1 tomate maduro picado (sem sementes)

Orégano

Folhas de manjericão

Mão na massa:

Pré-aqueça o forno a 180°C. Enquanto isso, retire a casca do pão de fôrma (mas se quiser também pode deixar com casca), passe molho de tomate por cima, depois coloque uma fatia de queijo mussarela, um pouco de tomate picado e jogue orégano por cima. Leve ao forno e deixe assar levemente por 6 minutos. Retire e coloque folhas de manjericão por cima. Très facile!

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

Manjericão: As folhas de manjericão são frágeis e só podem ser colocadas depois que as pizzinhas saem do forno.

Dica:

Use a imaginação quando preparar este quitute rápido. Ao invés de mussarela, se preferir, substitua por queijo prato, catupiri, ente outros. Você pode jogar por cima queijo parmesão ralado.  Ao invés de picar um tomate pode usar tomate cereja, cortando-o ao meio.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Fusilli Tricolore Especial

Read Full Post »

A abobrinha não é um fruto, digamos, popular. Há quem torça o nariz só de ouvir falar o nome deste legume de formato não muito aceitável – se é que vocês me entendem. Mas a abobrinha pode sim ser bem apreciada se preparada com todo o cuidado e carinho que uma boa refeição merece. E o prato que Cuisinez Fácil traz hoje aos leitores é bem conhecido, gostoso e sem muitas complicações no preparo.

Agora, quando quiser comer uma deliciosa abobrinha recheada acompanhada de um bom pão sírio não precisa mais ir ao Habbib’s. Faça em casa.

Vive la bonne cuisine!

yh

Imagem: Joannes Lemos

Abobrinha recheada: não precisa mais ir ao Habbib’s para comer esta delícia



Tire da despensa:

3 abobrinhas

400g de carne moída

2 tomates grandes

½ xícara de água

1 cebola picada

2 dentes de alho

Pimenta do reino (opcional)

Sal

1 xícara de arroz cozido

Mão na massa:

Tempere 200g de carne moída crua com o alho já amassado, meia cebola picada (reserve a outra metade), a pimenta do reino e o sal, misturando tudo com as mãos. Reserve e deixe separados os outros 200g da carne moída.

Lave bem as abobrinhas em água corrente e não as descasque. Corte a ponta de uma das extremidades, e, com uma colher de café (aquela colher pequena) vá tirando cuidadosamente todo o miolo da abobrinha. Tome cuidado ao se aproximar do fundo, para não furá-la. Esse é um trabalho que exige paciência e certos graus de habilidade. Enquanto faz isso encha uma panela grande com água, coloque uma pitada de sal e um fio de óleo e deixe ferver.

Misture a xícara de arroz já cozido à carne e faça um bolinho. Recheie cada abobrinha com este recheio, cuidadosamente. Depois disso, coloque cada abobrinha na água fervente e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos. Retire com uma escumadeira e reserve.

Em outra panela adicione um fio de óleo, frite a outra metade da cebola, junte os 200g de carne moída restantes e dois tomates grandes bem picadinhos (sem sementes). Junte meia xícara de água e uma pitada de sal e deixe cozinhar. Depois de pronto, coloque este molho por cima das abobrinhas recheadas.

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos:

  • Colher de Café: pra você que se perde na hora de saber o tamanho das colheres, a colher de café é aquela que se usa para mexer o cafezinho. Enfim, é aquela colher beeem pequena. Acredite, mas tem gente que se perde com isso.

Dicas:

Sirva suas abobrinhas recheadas com um bom punhado de pão sírio – encontrado em qualquer mercadinho. Se preferir, sirva também com arroz branco. Para beber uma dica é um bom vinho branco de uvas Trebbiano do sul do Brasil. Barato e fácil de encontrar também.

Curiosidades:

No Brasil a palavra abobrinha pode ser usada também como significado de “besteira”. Ex:Faustão só fala abobrinhas.”

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Torta de Batata e Atum

Read Full Post »

Prática, econômica e gostosa! Esses são três adjetivos que combinam bem com esta receita que Cuisinez Fácil traz hoje ao seleto grupo de leitores. Como o objetivo desta página é facilitar sua rotina na cozinha nada melhor do que fazer esta gelatina incrementada – o spumone não passa disso.

Sendo assim, da próxima vez que fizer gelatina acrescente mais alguns ingredientes e dê um toque de sofisticação para esta sobremesa. Surpreenda suas visitas e, ao invés de servir uma singela gelatina sirva um spumone.

Vive la bonne cuisine!

io

Imagem: Joannes Lemos

Spumone de Morango: receita prática para adoçar seu pós-refeição



Tire da despensa:

2 caixinhas de gelatina de morango

1 lata de creme de leite (sem soro)

1 lata de leite condensado

½ caixinha de morango (opcional)

Mão na massa:

Prepare a gelatina de acordo com as instruções do fabricante – para quem não sabe o modo de fazer está na própria caixinha. Depois que a gelatina ferver, coloque-a no liquidificador e junte o creme de leite sem soro e o leite condensado. Bata bastante. Depois, coloque os morangos e bata grosseiramente (a intenção é deixar pequenos pedaços).

Coloque em um refratário e leve à geladeira até adquirir breve consistência. Se preferir, coloque em taças individuais. O spumone se formará em camadas: por baixo fica uma leve crosta de gelatina e por cima uma leve camada aerada, como se fosse uma espuminha mais durinha.

Só isso?? Simmmmmm!!

Bon appétit!

Glossário para iniciantes perdidos (requentado de outro post):

Retirando o soro do creme de leite – já coloquei essa dica aqui. Mas não custa repetir. Para retirar o soro do creme de leite, coloque a lata no freezer da sua geladeira e deixe lá por uns 30 minutos. Retire, abra a lata, faça uma fenda na lateral até o fundo com uma faquinha para abrir um caminho. É por ele que o soro irá escorrer.

Dica:

Você pode variar o sabor do spumone. Por exemplo: se fizer com gelatina de abacaxi, use pedacinhos desta fruta também. Se usar gelatina de maracujá, use sementes do próprio e misture no composto logo após bater no liquidificador.

Para dar um charme especial à sobremesa, eu reservei uns morangos para colocar por cima do spumone – eu optei por taças individuais. E ao lado do morango coloquei uma singela folha de hortelã. Quem disse que a gente não come com os olhos também?

Curiosidades:

Em muitas receitas de spumone é indicado usar claras em neve no composto. Facilite sua vida: dispense as claras e seja feliz.

Faça também:

CUISINEZ FÁCIL: Torta Trufada de Morango

CUISINEZ FÁCIL: Torta Trançada de Frutas

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: